Sem categoria

O CENTÉSIMO MACACO ou COMO MUDAR O MUNDO COMEÇANDO POR VOCÊ

 Texto do livro: “O Milionésimo Círculo – Como transformarmos a nós mesmos e ao mundo
  – Jean Shinoda Bolen – pg 25 Como mudar o mundo 
 Imagem
 
“O centésimo macaco” é a história que inspirou os ativistas anti-nucleares a manterem sua luta, quando o senso comum apontava que a corrida nuclear armamentista não poderia ser detida. Esta história e sua moral, tocaram os corações como uma fábula alegórica e baseia-se na “Teoria dos Campos Mórficos” do enólogo Rupert Sheldrake. Ela diz que uma mudança no comportamento de uma espécie ocorre quando uma massa crítica – um número exato – é alcançado. Então o que acontece, é que o comportamento ou hábito de toda a espécie é alterado. A versão mais lida e conhecida desta fábula foi escrita por Ken Keynes Junior, e eu a transcrevo abaixo.  
 
Cientistas japoneses estudavam colônias de macacos, em ilhas isoladas, por mais de 30 anos. De maneira a observá-los e acompanhá-los eles precisavam fazer com que descessem das copas das árvores. Faziam isso deixando batata doce na praia.  
 
Os macacos se aproximavam para aproveitarem do alimento fácil – isso permitia uma perfeita observação por parte dos pesquisadores. Um dia uma macaca de 18 meses – chamada IMO – começou a lavar a sua batata no mar antes de comê-la. Imagino que isto melhorou o sabor por tirar os grãos de areia e pesticidas, ou então ficava mais saborosa por conta do sal. 
 
Imo mostrou a seus pares e à sua mãe como fazer isto, seus amigos mostravam às suas mães e gradualmente mais e mais macacos começaram a lavar suas batatas ao invés de comerem como eram oferecidas. Inicialmente, apenas as fêmeas adultas que imitavam seus filhotes mas gradualmente  isto se ampliou. 
 
Um dia os cientistas observaram que todos os macacos daquela ilha lavavam sua batata antes de comê-la. Embora isto seja significativo o que foi mais fascinante é que esta mudança no comportamento  não ocorreu apenas naquela ilha. Subitamente, os macacos de todas as outras ilhas estavam lavando suas batatas – apesar das colônias não terem nenhuma comunicação de uma ilha para outra. 
 
“O centésimo macaco” foi aquele anônimo hipotético que superou a escala para a espécie: aquele cuja mudança de comportamento significou que a partir daquele momento todos os macacos poderiam lavar suas batatas antes de comer. 
 
Como uma alegoria “o centésimo macaco” contém a promessa que quando um número crítico de pessoas mudar seu comportamento ou atitude – a cultura como um todo mudará. O que era inimaginável é feito por alguns, e depois por muitos, então um número crítico de pessoas faz a mudança que torna-se o que fazemos e o que somos como seres humanos. Alguém tem que ser o 99º até que haja o 100º – e ninguém sabe o quanto longe ou perto estamos dele até que subitamente estamos lá. 
 
Se alguma vez você já andou em um labirinto o processo é semelhante. Você anda e anda,  seguindo um caminho com curvas e que muda constantemente de direção. Você não tem como saber o quanto está distante do centro até que subitamente está lá. Uma vez no centro – um local simbólico de sabedoria e visão – você pode ficar lá o quanto quiser. Então é hora de se apropriar deste conhecimento ou experiência e utilizá-la no mundo. E mais uma vez você caminha pelo labirinto também sem saber o quão longe ou perto está da saída. Até que você faz a última volta e sai. 
 
Esta é a forma como uma Cultura é alterada quando se ouve e aprende a partir da contribuição de todos ….
Assuma sua própria responsabilidade, escolha onde ir a seguir.
 
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s