bbb

 

 

 

Esta semana, fugindo um pouco do assunto redes sociais, tecnologias digitais e PLE/PLN, gostaria de repassar a opinião do professor José Palazzo, da UFRGS, ao discorrer sobre a culpabilidade que se apossados  (ou é imposta) aos professores, a respeito do aproveitamento dos alunos no estudo.

Esse é um tema relevante, sobretudo aos professores de alunos de Ensino Médio, Técnico e Superior, que já possuem idade e caminhada escolar suficiente para serem responsabilizados por seus atos. Não irei transcrever toda a fala do professor aqui, que pode ser conferida na íntegra no link ao final deste texto, mas destacarei 3 trechos que considero significativos e emblemáticos da fala do professor.

 

Estamos trabalhando com adultos que têm uma perfeita percepção de suas opções de vida e de suas responsabilidades. Não aceito mais a posição de se culpar ao sistema, às condições sociais ou aos professores culpas imaginárias. Cada um de nós é absolutamente responsável por suas decisões e ações (PALAZZO, 2014)

“Tem ocorrido um problema sério no ensino e o pior, no ensino universitário: a transformação do esforço do ensino e da aprendizagem em um jogo prazeroso. Então a nossa culpa seria não fazer joguinhos para nossos jovens adultos apreenderem computação. Tenho visto inúmeras vezes publicada, discutida ou defendida a ideia de que não devemos fazer os nossos aluninhos sofrerem estudando. Credo, ter que estudar teoria – isto não serve para o empreendedorismo. Parece que ir para a escola é ir se divertir em um parque temático. A pior destas ideias é a de quase ser obrigação manter os alunos na universidade, isto leva a um desprezo pela dedicação e a negação da recompensa pelo esforço. (PALAZZO, 2014)

Nós, os professores, devemos ter consciência que estão nos manipulando com este conceito de culpa. Nós não somos culpados, culpados são os fracos e os desinteressados que não querem trabalhar pesadamente para atingir a vitória. Nossa responsabilidade é exigir qualidade e dedicação aos nossos alunos. ” (PALAZZO, 2014).
Quero dizer, por fim, que, ao mesmo tempo que reconheço a importãncia do professor no aprendizado, concordo inteiramente com as palavras do professor Palazzo: não podemos assumir responsabilidade maior do que aquela de motivar e estimular nossos alunos, mas sem querer abraçar uma responsabilidade que é só deles: de  estudar e se esforçar. (post completo em  http://migre.me/nyC9D).

E você o que acha disso?