CMC, EaD, AVA, PLE, PLN, Colaboração, Documentos, Educação, Mídias na Educação, tecnologias digitais

REPOSITÓRIOS DE PRÁTICAS E ARTEFATOS DE MEDIAÇÃO: documentando e compartilhando atividades de aprendizagem

share    Publicado no volume 14 da revista e-Curriculum (PUC-SP) há poucos dias, o artigo escrito em colaboração entre eu, Patrícia Bassani e Daniel Dalanhol (Univ. Feevale) debate a questão do compartilhamento, por parte dos docentes, de atividades de aprendizagem com uso de tecnologias, assunto de interesse do Learning Design (ou Design da Aprendizagem).

Partindo da premissa que as atividades de aprendizagem podem ser codificadas em diferentes formas de representação, entendidas como artefatos de mediação, a adequada documentação dessas atividades possibilita a construção de um banco de dados de práticas educativas. Desse modo, tais práticas podem ser compartilhadas e acessadas por diferentes professores, que podem reutilizá-las, modificá-las e validá-las em diferentes contextos.

O artigo (texto integral aqui), utilizando abordagem metodológica qualitativa na perspectiva da pesquisa exploratória, se organiza a partir de dois objetivos complementares:

  • identificar repositórios para o compartilhamento de atividades de aprendizagem existentes no Brasil e analisar o tipo de artefato de mediação compartilhado;
  • analisar as ferramentas para desenvolvimento de mapas conceituais online como espaços para a documentação e o compartilhamento de atividades de aprendizagem.

Os resultados obtidos apontam que os repositórios existentes utilizam essencialmente artefatos de mediação em formato texto. Nesses repositórios há diferentes tipos de práticas educativas e os documentos podem ser utilizados livremente. Entretanto, de forma geral, os repositórios não permitem que os professores compartilhem suas práticas, possibilitando apenas o uso de materiais disponíveis, e falta também padronização para o uso organizado e produtivo desses materiais.

Por outro lado, ferramentas de mapas conceituais online possibilitam a publicação das atividades de aprendizagem desenvolvidas na web via link público sem mediação. Dessa forma, verifica-se que as ferramentas para desenvolvimento de mapas conceituais online caracterizam-se como espaços relevantes para fomentar processos de documentação e de compartilhamento de sequências de atividades de aprendizagem.

Entretanto, o desafio consiste em promover um espaço onde essas atividades disponibilizadas na web por meio de links públicos possam ser agrupadas, para fins de acesso, consulta e reutilização, uma vez que os repositórios analisados não permitem a publicação desse tipo de artefato de mediação.

Estudos em andamento envolvem uma proposta de padronização para o design das sequências de atividades de aprendizagem e a modelagem de um sistema computadorizado para o compartilhamento de prática, permitindo aos professores exercitar a autoria e compartilhar suas propostas na perspectiva da cultura do compartilhamento. 

E você, o que acha disso?
Leia, opine e compartilhe!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s