Crônicas/Opinião/Autores

“A diferença entre ajuda e trabalho grátis” ou “o poder do NÃO”

aa
Dividir conhecimento  ou ajudar as pessoas é algo bacana, sobretudo quando isso é feito de modo recíproco e sem intenção de exploração. Não me importo de trocar ideias com amigos ou colegas de estudo sobre minha área de trabalho, dividir tarefas ou ajudar alguém em início de carreira ou com dúvidas sobre que caminho seguir.

Entretanto, dividir conhecimento NÃO É trabalhar de graça!

 

Desde que alguém do meu círculo de amigos descobre que trabalho com computadores e/ou traduções/versões em inglês, sou sempre convidado para jantares, almoços ou “reencontros” nos quais, invariavelmente,  surge a seguinte colocação:

“Estou com um probleminha  aqui no meu computador, você poderia dar uma olhadinha pra mim?”  E a tal olhadinha se transforma num dia todo ou noite toda de trabalho, enquanto os demais se divertem na comemoração da qual eu supostamente deveria usufruir.

De uns tempos pra cá, cansado da má fé de alguns e dos oportunistas estilo “oi sumido, preciso de um favor… rs”, adotei a resposta-padrão:

Vou te encaminhar um orçamento por e-mail. 

Ninguém responde.
Quer dizer… as respostas foram mais ou menos assim: “Ah, você vai querer cobrar por isso?”, “Poxa, coloca rapidinho aqui esse Abstract em inglês pra mim, não vai demorar nada”, “Caramba virou mercenário, hein?!” e por aí vai. Quase ninguém compreende que para aprender a formatar um computador, remover vírus, desinstalar um adware, formatar um currículo ou construir um Abstract (sim, não é tradução, é versão, algo beeem diferente) não são cinco minutos de conversa, não é receita de bolo e eu demorei muito tempo pra aprender.

 

Sei que muitos profissionais, de diversas áreas, passam por isso diariamente, e todos os dias novas pessoas vão continuar te abordando pedindo que você trabalhe de graça. Diante dessa situação, você sempre vai ter algumas opções.

  • Aceitar, em nome da amizade, consideração, o que for, e ajudar, utilizando essa experiência como aprendizado, algo que vai acrescentar no seu currículo. E, se for essa minha opção, vou fazer de bom grado;
  • Enviar um orçamento e se preparar para que a pessoa não entenda porque você está cobrando pelo seu trabalho e ficar sem resposta;
  • Enviar um orçamento, receber um ok e mais alguns reais na conta bancária

Algumas pessoas não têm mesmo a mínima ideia do esforço envolvido em cada tarefa dessas. Não fique receoso em negar “ajuda”. Aprenda a diferenciar quando é “ajuda” e quando querem, simplesmente, que você trabalhe de graça.

Isso se chama “o poder do não”. Aprendi, depois de muito esforço, que quem entende o valor de um trabalho não vai se ofender e quem não  entende não vai te valorizar, seja você aceitando ou não a tarefa.

Fonte da imagem: http://revistaautomotivo.com.br/auto/importancia-de-saber-dizer-nao/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s